ESPORTE

Mesmo com apoio da Prefeitura e de deputado estadual, time do Chapadinha não tem dinheiro sequer para almoçar

Os jogadores só não entraram em campo com a barriga vazia por conta de uma boa ação do torcedor do Cavalo de Aço

O Chapadinha Futebol Clube talvez viva a pior situação entre os 8 times que disputam a edição deste ano do Campeonato Maranhense. Entre o atraso de salários (que já é normal) e a falta de condições de trabalho, agora a situação pirou de vez. Aprova disso é que neste último sábado (16), a diretoria não tinha sequer dinheiro para comprar almoço para 30 pessoas, entre jogadores e comissão técnica, que viajaram para a cidade de Imperatriz (MA), onde o time perdeu por 1 a 0. O caso apenas confirma as péssimas condições que o futebol maranhense vive nos últimos tempos.

A equipe ficou nas dependências do Frei Epifânio até a hora do jogo, porque também não teve dinheiro para ficar em um hotel. Os jogadores só não entraram em campo com a barriga vazia por conta de uma boa ação do torcedor do Cavalo de Aço, que fez um golaço, antes da bola rolar no Frei Epifânio, mostrando muita desportiva, que o futebol brasileiro tanto precisa. Ao saberem que a diretoria do Galo da Chapada não tinha dinheiro para comprar almoço, uma arrecadação de dinheiro foi organizada — em caráter de urgência, entre os torcedores do Colorado e foram compradas cerca de 30 quentinhas. O total em dinheiro deu apenas R$ 450, por conta de uma parceria feita com um restaurante da cidade. Em vídeo gravado (veja a baixo), os torcedores falaram sobre a situação do Galo, que não tinha nem uma farofa de ovo para almoçar.

Nem nas redes sociais e nem no site desatualizado do time tem qualquer informação sobre parcerias publicitárias, fonte de recursos para mantimento do clube. Esta mesma situação não se repete nas transmissões dos jogos em Chapadinha, que acontecem em um canal particular no YouTube. Nelas, aparecem dezenas de patrocinadores entre empresas e principalmente políticos locais. Em tese, todos estes são patrocinadores também da equipe, já que a transmissão só é permitida com autorização da agremiação mandante.

Um destes patrocinadores é o deputado estadual Aluísio Santos (PL), que usa a transmissão como uma espécie de palanque político. O parlamentar interrompe as transmissões de 5 em 5 minutos, com vídeo que cobre toda a tela da emissora digital. A mensagem é totalmente política e nada tem a ver com futebol. Um outro patrocinador é a Prefeitura do Município, que também faz uso da transmissão para divulgar suas ações. Mas apesar da presença deles na tela, o time amarga a pior situação do futebol maranhense, sem dinheiro até mesmo para o mínimo do mínimo, que é uma alimentação saudável durante as viagens.

Maxsuel Bruno

Radialista pós-graduado em Jornalismo Esportivo. Narrador da BMAX Sports e Planeta Esportivo. Teólogo pós-graduado em Jornalismo Empresarial e Assessoria de Imprensa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo